Há mais novos casos fora da China do que no país, mas não há necessidade de pânico, diz OMS

27/02/2020

Pela primeira vez, o número de novos casos diários de coronavírus relatados de infecção pelo Covid-19 fora da China, 427, por 37 diferentes nações, excedeu o de notificações do país que é o epicentro da doença –foram 411 chineses que adquiriram a infecção, disse a Organização Mundial de Saúde (OMS) nesta quarta-feira (26).

 

O número de infecções chegou a 80.988 e não há tratamento efetivo para a doença até agora, mas não há necessidade de pânico por causa da epidemia de coronavírus, disse, nesta quarta-feira (26), Hans Kluge, diretor da Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Não há necessidade de pânico”, ele disse em uma coletiva de imprensa em Roma. A taxa de mortalidade é de cerca de 2%, afirmou Kluge. Na China, onde estão 96,5% dos casos no mundo, agora ela é ainda menor, de 1%, salientou.

 

“Lembrem-se que quarto de cada cinco pacientes têm sintomas leves e se recuperam”, ele afirmou.

 

A alta de novas infecções na Itália, no Irã e na Coreia do Sul é “muito preocupante”, mas o vírus ainda pode ser contido, e não está configurada uma pandemia, segundo o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

 

A OMS declarou uma emergência de preocupação internacional no dia 30 de janeiro. “Usar a palavra pandêmico sem cuidado não traz nenhum benefício tangível, mas ela implica um risco significativo em termos de amplificar sem necessidade um medo injustificável e um estigma, e paralisando sistemas. Isso pode sinalizar que não podemos mais conter o vírus, o que não é verdade.”

 

Novos casos no Bahrein, Iraque, Kuwait e Omã foram todos ligados ao Irã.

 

E pessoas doentes na Argélia, Áustria, Croácia, Alemanha, Espanha e Suíça têm a enfermidade ligada ao surto na Itália.

 

O grupo de cooperação de resposta à doença vai ganhar escala para que se garante que todas as regiões da Itália estejam preparadas para responder à epidemia, depois da alta do número de infecções no norte do país.

 

Grandes áreas na Europa

A União Europeia precisa se preparar para cenários em que grandes regiões estejam em risco de ter epidemia, disse o diretor de prevenção e controle de doenças da União Europeia, Andrea Ammon.

 

Maioria (80%) dos casos são leves

Uma análise dos dados oficiais da China divulgada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta segunda-feira (17) mostra que a maioria dos casos confirmados de coronavírus é leve (80,9%), sem pneumonia ou com pneumonia branda. Todos os pacientes que morreram desenvolveram a versão mais grave da Covid-19, doença causada pelo vírus, que atingiu menos de 5% dos infectados.

 

O estudo confirma os indícios apresentados por outros cientistas: a maior taxa de mortalidade (14,8% dos infectados) está entre as pessoas com mais de 80 anos. Pacientes com outras doenças, principalmente as cardiovasculares, também têm uma chance maior de ter a versão crítica da Covid-19.

 

Fonte: G1

Todos os direitos reservados 2002 - 2017. Federação Nacional dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde.
fenaess@fenaess.org.br 
SRTVS - Quadra 701 - Bloco "E" - Lotes 2/4 - Edifício Palácio do Rádio II - Salas 227/228
Telefone - 61-3202.4323 e Fax - 3202.6494 
Asa Sul - Brasília/DF - Cep: 70340-902