Ministério da Saúde vai revogar mais de 16 mil regras contraditórias ou inválidas do SUS

03/10/2017

O Ministério da Saúde irá revogar uma série de portarias do Sistema Único de Saúde que regulam o mesmo assunto; e, portanto, podem ser consideradas contraditórias ou redundantes em alguns pontos. Ao todo, 17 mil portarias do SUS foram consolidadas em outras 700.

 

Segundo a pasta, foi feito um trabalho exaustivo de consolidação das normas e 16 mil e 300 portarias devem ser revogadas. A medida, com a revogação, será publicada nesta sexta-feira (29) no Diário Oficial da União.

O projeto de consolidação está sendo executado pela Programa de Direito Sanitário da Fiocruz e pela Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB).

 

“Um dispositivo muitas vezes estava diferente em um pedaço de outra portaria, o que poderia levar gestores a erros”, explica Maria Célia Delduque, coordenadora do Programa de Direito Sanitário (Prodisa) da Fiocruz Brasília.

 

Além das portarias contraditórias, serão revogadas, ainda, portarias 'exauridas' -- aquelas que, apesar de serem válidas, foram publicadas para uma necessidade específica e não têm validade para outros momentos. É o que acontece, por exemplo, quando recursos são repassados para um município e uma portaria é publicada.

 

Um outro problema é que portarias normativas estavam misturadas com portarias que não necessariamente regulavam o sistema. Por exemplo, um mesmo texto poderia nomear uma pessoa para um cargo e publicar normas para o SUS.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, menos de 5% das portarias publicadas continham normas consideradas válidas para o Sistema Único de Saúde.

 

Código do SUS e leis consolidadas

Com a revogação das portarias e a consolidação das normas, o Ministério da Saúde planeja para 2020 a criação do código do SUS, em que todas as regras do Sistema Único de Saúde serão consolidadas.

 

“O setor da saúde no Brasil estará dando um passo importante e inovador que deve ser seguido por todos os outros órgãos da administração pública”, explica Belduque, que participa do projeto.

 

Segundo a pasta, o ministério da Saúde é o primeiro a cumprir a Lei Complementar Nº 95, que prevê a consolidação das leis no país.

 

O código, além de consolidar as regras e permitir um melhor funcionamento do sistema, será publicado em seis eixos temáticos:

 

1) Organização e funcionamento do SUS;

2) Regras gerais da organização do sistema;

3) Políticas públicas de saúde ;

4) Redes de atenção à saúde;

5) Ações e serviços de saúde;

6) Financiamento.

 


Fonte: G1.com
 

Todos os direitos reservados 2002 - 2017. Federação Nacional dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde.
fenaess@fenaess.org.br 
SRTVS - Quadra 701 - Bloco "E" - Lotes 2/4 - Edifício Palácio do Rádio II - Salas 227/228
Telefone - 61-3202.4323 e Fax - 3202.6494 
Asa Sul - Brasília/DF - Cep: 70340-902