Ministro da Saúde afirma que tabela de preços do SUS será refeita

13/06/2019

                                                                                                                       O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, garantiu que o governo                                                                                                                              federal irá modificar a tabela de preços dos procedimentos realizados para o                                                                                                                      Sistema Único de Saúde (SUS). A afirmação foi realizada durante o                                                                                                                                    Seminário Desafios da Saúde, promovido pela Federação dos Hospitais do                                                                                                                          Rio Grande do Sul (Fehosul), em Porto Alegre. De acordo com o titular da                                                                                                                            pasta, o Ministério da Saúde não tem uma central de preços.

 

                                                                                                                    — Eu não tenho como dizer quanto custa o mesmo procedimento realizado                                                                                                                        em dois hospitais diferentes — reconhece.

 

 

                                                                                                                       Segundo Mandetta, isso ocorre porque, ao longo dos anos, as instituições                                                                                                                        de saúde receberam incentivos para complementar os valores da tabela.

 

                                                                                                                    — Foram criados nomes para procedimentos em paralelo ao utilizado na                                                                                                                            tabela. Tem hospital reclamando dos valores, mas não levando em conta os                                                                                                                        incentivos. Teremos que sentar para refazer essa conta — afirma.

 

Para uma plateia de 300 pessoas entre médicos e empresários do setor hospitalar, Mandetta defendeu mudanças na filantropia, para extinguir a mentalidade do “pires na mão”. Que, para ele, representa aquelas instituições que sempre buscam recursos federais para se manter.

 

— Por que não pagar melhor para quem tem um melhor desempenho? — questiona.

 

Ele ainda reclamou da diferença de tratamento que pacientes particulares e do SUS recebem nas instituições.

 

— Nós temos uma má cultura de pensar que o paciente do SUS é de segunda ou terceira linha. É dessa massa aqui, que paga seus impostos, que o governo tem dinheiro para sustentar o país — defende.

 

Conforme Mandetta, 86% da população brasileira depende do sistema universal de saúde.

 

— Se somos 86%, temos o direito de, como clientes, exigir o bom atendimento por parte dos hospitais que recebem dinheiro do governo federal — finalizou.

Fonte: Gauchazh.saúde

Todos os direitos reservados 2002 - 2017. Federação Nacional dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde.
fenaess@fenaess.org.br 
SRTVS - Quadra 701 - Bloco "E" - Lotes 2/4 - Edifício Palácio do Rádio II - Salas 227/228
Telefone - 61-3202.4323 e Fax - 3202.6494 
Asa Sul - Brasília/DF - Cep: 70340-902