Saiba porque o prontuário eletrônico é a principal ferramenta de transformação digital nos consultórios

23/01/2020

O conceito de transformação digital já é uma realidade no ambiente corporativo, mas agora chegou o momento do setor de saúde também se envolver com o tema. A cada dia que passa, novas tecnologias surgem para facilitar a vida de médicos e pacientes – e é preciso estar antenado com todas as novidades para garantir o melhor atendimento possível às pessoas. Contudo, é uma solução já existente e integrada ao dia-a-dia que permite aos consultórios iniciarem a digitalização de seus processos: o prontuário eletrônico. Veja cinco motivos que mostram porque ele é a principal ferramenta para quem deseja se transformar digitalmente:

 

1 – Fonte de dados essenciais

 

Em um cenário de transformação digital, os dados são os principais ativos que um profissional tem para melhorar a tomada de decisão. No caso da saúde, quanto mais informações o médico tiver, mais rápido ele faz o diagnóstico e melhor vai ser o atendimento ao paciente. Assim, o prontuário eletrônico torna-se fundamental em um consultório, uma vez que consegue centralizar todas as informações mais importantes da pessoa, como histórico e receituário, além de disponibilizar acesso a conteúdo clínico especializado por meio de plataformas parceiras.

 

2 – Maior interação com os pacientes

 

Isso não significa, portanto, que a solução atua como um mero repositório de informações para o consultório. Hoje, as melhores ferramentas são as que possibilitam um melhor relacionamento entre os médicos e seus pacientes. As próprias pessoas podem, por exemplo, atualizar seus dados cadastrais antes mesmo do atendimento, facilitando ainda mais a consulta. Essa tática é vital para oferecer uma análise mais humanizada, uma vez que desenvolve a confiança entre as partes.

 

3 – Informação na palma da mão

 

Esqueça os pesados softwares que precisavam ser instalados em computadores de mesa nos consultórios e hospitais. O avanço do cloud computing no país fez com que o prontuário eletrônico migrasse para este ambiente nos últimos anos, trazendo agilidade, conectividade e mobilidade aos profissionais de saúde. Por meio de um aplicativo de smartphone, é possível acessar todos os dados do paciente mesmo com o médico fora do seu expediente, agilizando o atendimento e até a pesquisa de diagnóstico.

 

4 – Digitalização de processos

 

Transformação digital só é possível quando os processos são automatizados. Dessa forma, é inviável digitalizar tarefas se o seu consultório ainda é refém do papel. Lembre-se que os prontuários surgiram para reduzir a quantidade de documentos impressos, eliminando arquivos físicos no local. É possível até acabar com o uso do papel desde que a solução atenda as normas NGS-2 do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS), permitindo o uso de certificação digital.

 

5 – Caminho para Inteligência Artificial

 

A expectativa é que a tecnologia de Inteligência Artificial cresça substancialmente no setor de saúde nos próximos anos, principalmente em serviços de diagnóstico e gestão do consultório. Para isso, ferramentas de IA precisam estar integradas com os prontuários eletrônicos, uma vez que é a partir da análise e leitura de grande volume de dados que esses equipamentos conseguem identificar padrões de diagnósticos e consultas, além de preenchimento de relatórios e demais documentos.

 

Fonte: Saúde Business

Todos os direitos reservados 2002 - 2020. Federação Nacional dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde.
fenaess@fenaess.org.br 
SRTVS - Quadra 701 - Bloco "E" - Lotes 2/4 - Edifício Palácio do Rádio II - Salas 227/228
Telefone - 61-3202.4323 e Fax - 3202.6494 
Asa Sul - Brasília/DF - Cep: 70340-902