Setor da saúde gerou saldo positivo de 110 mil empregos em 2020

05/02/2021

A categoria técnico e auxiliares de enfermagem foi a que demonstrou o melhor resultado, com saldo positivo de 52.611 no acumulado em 2020

 

O setor da saúde encerrou dezembro com a criação de 7.871 novos empregos. No balanço anual (janeiro a dezembro de 2020), o setor fechou o período com saldo positivo de 110.799 empregos abertos no setor, em meio à pandemia da Covid-19. Os dados são do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged).

 

De acordo com os dados, que avaliam a criação de empregos no Brasil, o setor da saúde foi o segundo com maior saldo positivo entre seis avaliados (a construção, com 112.174 empregos abertos, lidera a lista).

 

Baseado nos dados divulgados no Caged, a Confederação Nacional da Saúde (CNSaúde) divulgou o Boletim Mercado de Trabalho, com os dados do setor da saúde destrinchados. A entidade vem divulgado os dados em seu site desde o mês de junho de 2020. A saúde apresentou saldo positivo (relação entre admitidos e desligados) em onze dos doze meses avaliados – somente em abril o saldo foi negativo. Os meses de julho (+ 15.038), novembro (+ 14.634) e junho (+ 14.293) foram os meses com os melhores resultados de geração de empregos.

 

A categoria técnico e auxiliares de enfermagem foi a que demonstrou o melhor resultado, com saldo positivo de 52.611 no acumulado de 2020. Em seguida aparece a de enfermeiros com 20.189 (2ª categoria profissional que mais gerou empregos na saúde).

 

Confira os detalhes:

 

– Na divisão por grau de instrução, o saldo mais positivo aconteceu para profissionais com ensino médio completo (+ 87.836 de janeiro a dezembro)

 

– O maior saldo foi na faixa etária de 18 a 24 anos (+ 57.325 de janeiro a dezembro)

 

– A categoria que mais empregou foi técnico de enfermagem (+ 52.611 de janeiro a dezembro)

 

– No acumulado anual, dois estados tiveram saldo negativo: Paraíba (- 283) e Rio de Janeiro (- 2.857)

 

– Em dezembro, cinco estados tiveram saldo negativo: Acre (- 9), Maranhão (- 503), Espírito Santo (- 24), Paraná (- 19), e Distrito Federal (- 126)

 

– No acumulado anual, os quatro estados com melhor saldo foram: São Paulo (+ 33.431), Minas Gerais (+ 13.185), Distrito Federal (+ 7.386) e Rio Grande do Sul (+ 6.609)

 

– Em dezembro, os quatro estados com melhor saldo foram: Rio de Janeiro (+ 1.594), Minas Gerais (+ 1.473), São Paulo (+ 1.227) e Rio Grande do Sul (+ 834)

 

Geração de empregos por mês (setor da saúde):

 

Janeiro: (+6.142)

 

Fevereiro: (+10.911)

 

Março: (+8.603)

 

Abril: (-1.427)

 

Maio: (+8.982)

 

Junho: (+14.293)

 

Julho: (+15.038)

 

Agosto: (+13.304)

 

Setembro: (+6.660)

 

Outubro: (+ 5.788)

 

Novembro: (+ 14.634) melhor mês

 

Dezembro: (+ 7.871)

 

Saldo da Geração de Emprego no Setor Saúde por sexo (Dezembro)

 

Homens: (+1.211)

 

Mulheres: (+6.660)

 

Saldo da Geração de Emprego no Setor Saúde por sexo (Acumulado – Jan/Dez 2020)

 

Homens: (+25.940)

 

Mulheres: (+84.859)

 

Os dados da geração por sexo confirmam uma característica do setor, formado em grande parte por profissionais do sexo feminino.

 

Saldo da Geração de Emprego no Setor Saúde por grau de instrução (Dezembro 2020)

 

Analfabeto: (+ 5)

 

Fundamental Incompleto: (-365)

 

Fundamental Completo: (-295)

 

Médio Incompleto: (-609)

 

Médio Completo: (+8.702)

 

Superior Incompleto: (+159)

 

Superior Completo: (+274)

 

Saldo da Geração de Emprego no Setor Saúde por grau de instrução (Acumulado – Jan/Dez 2020)

 

Analfabeto: (+161)

 

Fundamental Incompleto: (-3.332)

 

Fundamental Completo: (-2.283)

 

Médio Incompleto: (-5.227)

 

Médio Completo: (+87.836)

 

Superior Incompleto: (+ 1.440)

 

Superior Completo: (+32.204)

 

Saldo da Geração de Emprego no Setor Saúde por faixa etária (Dezembro 2020)

 

Até 17 anos: (+587)

 

18 a 24 anos: (+5.590)

 

25 a 29 anos: (+2.325)

 

30 a 39 anos: (+1.393)

 

40 a 49 anos: (-66)

 

50 a 64 anos: (-1.670)

 

65 anos ou mais: (-288)

 

Saldo da Geração de Emprego no Setor Saúde por faixa etária (Acumulado – Jan/Dez 2020)

 

Até 17 anos: (+6.377)

 

18 a 24 anos: (+57.325)

 

25 a 29 anos: (+31.086)

 

30 a 39 anos: (+31.776)

 

40 a 49 anos: (+7.905)

 

50 a 64 anos: (-19.186)

 

65 anos ou mais: (-4.484)

 

Um ponto que impacta na empregabilidade em muitos setores, não apenas o da saúde, é a faixa etária. Com a pandemia, profissionais mais jovens foram naturalmente demandados em maior grau. A necessidade de resguardar integrantes de grupos de risco – como aqueles com idade acima de 60 anos – podem ajudar a explicar o saldo negativo de profissionais acima dos 50. Outro fator que devemos ponderar é a aposentadoria.

 

Geração de empregos das principais categorias

 

Técnico e Auxiliar de Enfermagem (52.611)

 

Enfermeiros (20.189)

 

Faxineiro (7.837)

 

Fisioterapeutas (4.660)

 

Auxiliar de Laboratório (3.323)

 

Médicos Clínicos (2.808)

 

Técnico e Auxiliares em Patologia Clínica (1.977)

 

Farmacêuticos (1.755)

 

Técnico de Manipulação Farmacêutica (1.084)

 

Condutor de Ambulância (1.048)

 

Assistente Social (887)

 

Nutricionistas (811)

 

Auxiliar no Serviço de Alimentação (679)

 

Técnico de Odontologia (666)

 

Copeiro de Hospital (625)

 

Psicólogo Clínico (538)

 

Fonoaudiólogos (410)

 

Médicos Especialidades Cirúrgicas (275)

 

Terapeuta Ocupacional (205)

 

Psicólogo Hospitalar (156)

 

Psicólogo Social (126)

 

Saldo da geração de empregos por estados (Dezembro 2020)

 

Saldo da geração de empregos por estados (Jan/Dez 2020)

 

Slide1.JPG
Slide2.jpg
Slide3.jpg